top of page

Óvnis à luz da Bíblia

O texto bíblico explica as aparições que tem ocorrido no céu em vários locais do planeta?


O estudo da Bíblia é fundamental para compreender manifestações vistas no céu e fugir de interpretações errôneas (Foto: Shutterstock)

Com as recentes notícias de grande repercussão envolvendo o surgimento de objetos e fenômenos de natureza curiosa nos céus de diversos países, várias pessoas, especialmente estimuladas pela mídia e teóricos da ufologia, começaram a discutir sobre essas aparições.

Seriam visitantes de outros mundos, equipamentos científicos como satélites e balões de pesquisa atmosférica, tecnologia militar secreta de países ou seriam fruto da imaginação humana? São muitas as ideias propostas para explicar a natureza do que se viu no céu. Veremos brevemente o que diferentes fontes falam sobre óvnis.

O que são óvnis (Ufos) e o que podem ser as recentes aparições?

Embora o uso de termos como óvni (que significa Objeto Voador Não Identificado) ou, em inglês, UFO (Unknown Flying Objects) seja ainda bastante difundido, recentemente foram adotadas outras terminologias para distinguir e caracterizar de maneira mais clara fenômenos que podem ser classificados como atmosféricos ou aeronáuticos/aeroespaciais.

Há os termos UAP, para Fenômenos Aéreos Não Identificados (do inglês Unidentified Aerial Phenomena), e UAV para Veículo Aéreo Não Tripulado (do inglês Unmanned Aerial Vehicle). Este último é mais comumente referido como drone. Outro termo usado para drones é UAS (do inglês Unmanned Aerial Systems) e se refere a sistemas aéreos não tripulados. A partir dessas definições, todos os últimos relatos que preencheram as notícias podem ser explicados razoavelmente bem do ponto de vista de serem objetos como balões de pesquisa científica e/ou espionagem, satélites refletindo a luz solar e objetos similares.

Óvnis (ufos) e a Ufologia

A ufologia ou ovnilogia é o conjunto de assuntos e atividades associadas ao interesse em ufos. E, também, de fenômenos relacionados com esses eventos, geralmente agregando um espectro diverso de ideias que incluem desde o contato com seres extraterrestres e abduções (uma forma de sequestro por parte de naves alienígenas) e se estendem até ideias que englobam conceitos esotéricos e espiritualistas para explicar esses fenômenos e sua causa.

A própria etimologia da palavra ufologia, um neologismo aparentemente cunhado por Edward J. Ruppelt, é derivado da junção do acrônimo -ufo, do inglês "unidentified flying objects", e o sufixo -logia que vem do grego antigo-λογία, que significa estudo ou ramo de conhecimento[1].

A Bíblia apresenta alguma referência aos óvnis?

Apesar de não utilizar as expressões modernas óvni ou UFO, a Bíblia apresenta alguns princípios básicos que podem nos ajudar na compreensão desse tema intrigante.

As Escrituras mostram que as fontes de fenômenos sobrenaturais são derivadas de: (a) Deus (nas pessoas do Pai, do Filho e do Espírito Santo) e Seus servos celestiais; (b) Satanás e outros seres de natureza angelical, que assim como ele, estão em um grande conflito com as forças do bem pelo domínio deste mundo e seus habitantes (Apocalipse 12:7-9). E que, para isso, não medem esforços para exercer todo tipo de engano que possa lhes oferecer alguma vantagem na batalha por cada vida.

Tendo esse cenário em consideração, do ponto de vista bíblico, se os óvnis existem como eventos sobrenaturais, são categorizados em uma dessas alternativas. Agora, para determinar a fonte de algumas manifestações a partir do prisma da Bíblia, seria necessário analisar como atua cada grupo de seres, do bem e do mal.

Por exemplo, pode-se notar nas páginas sagradas que grande parte das manifestações satânicas são confusas, mesmo indefinidas e geralmente levam pessoas a entendimentos enganosos. Existe um elemento despertador da curiosidade para o mistério e que interfere nas emoções, mais do que uma busca racional por respostas propriamente concretas.

Identificando manifestações

O teólogo Alberto R. Timm[2] faz uma análise na qual classifica esse tipo de manifestações como encarnações demoníacas, provendo alguns exemplos como manifestações na forma de animais (Gênesis 3:1-5; Apocalipse 12:9), de pessoas já mortas (I Samuel 28) e de seres angelicais (II Coríntios 11:14). Isso é reforçado na Bíblia com o ensino de que não há uma alma ou espírito (fantasma) imortais que saem do corpo de uma pessoa ou qualquer outro ser vivo quando estes morrem, naturalmente não sendo estes as causas de tais avistamentos.

Juntando essas informações, temos a indicação bíblica de que haveria “grandes sinais e prodígios” (Mateus 24:24; Marcos 13:22) nos últimos dias por parte dos anjos rebeldes para atrair as pessoas para essas experiências.

Tais experiências estariam conectadas com crenças derivadas de conceitos não bíblicos como a imortalidade da alma e o contato direto com seres de fora da Terra (extraterrestres), que não são os anjos de Deus. E é possível perceber a implicação clara e direta: do ponto de vista da Bíblia, se algum desses eventos com óvnis forem realmente sobrenaturais, eles não passam de manifestações de anjos caídos. Descartando, claro, os casos de má interpretação de eventos com satélites, balões de pesquisa e espionagem, tecnologia militar secreta, fraudes de imagens e similares.

Não é coincidência que nas linhas da ufologia que se aprofundam nas origens e motivações dessas aparições há uma presença muito forte de conceitos provindos de uma compreensão esotérica, espiritualista e até mesmo gnóstica de mundo. O gnosticismo é a cosmovisão relacionada com a existência de espíritos imateriais e/ou seres extraterrestres que não ensinam a mensagem bíblica, mas da mesma forma estão envolvidos em salvar a presente civilização humana da destruição.

Há outros textos bíblicos que corroboram essa capacidade por parte dos anjos rebeldes quando é dito que são capazes de realizar “[...] coisas espantosas e, também, grandes sinais do céu” (Lucas 21:11), de se transformar em anjos de luz (II Coríntios 11:14), e de fazer descer fogo do céu “à terra diante dos homens” (Apocalipse 13:13). Esses sinais e maravilhas teriam por objetivo “enganar, se possível, os próprios eleitos” (Mateus 24:24; Marcos 13:22; ver João 8:44; II Tessalonicenses 2:9 e 10). É inegável, portanto, que as ideias ufológicas acabam enveredando por um rumo que se vale de uma cosmovisão conflitante com a bíblica.

De olho nas Escrituras

Os interesses por trás da recorrência desse tipo de assunto nas notícias e indústria do entretenimento podem cobrir e se sobrepor em variados aspectos, entre eles: (1) comercial, pois o mistério é algo que agita as pessoas emocionalmente e as faz investir até mesmo grandes quantias de dinheiro na busca de satisfazer sua curiosidade; (2) distração com finalidades políticas, desviando o foco de problemas de grande escala na sociedade; (3) mensagem espiritual conflitante com a Bíblia, em que constantemente se transmite uma ideia de que os extraterrestres que no futuro virão intervir na história humana querem nos destruir, quando no relato da Bíblia eles são representados como Deus Pai, Jesus e Seus anjos vindo salvar a humanidade arrependida de um mundo de pecado.

A despeito do bombardeamento de informações com essa temática que muitas vezes recebem, os cristãos precisam manter o foco na mensagem e missão deixadas por Jesus Cristo. Para isso, devem se pautar por uma postura de análise sólida e sóbria das informações que lhes chegam, tendo o cuidado de não cair em dois extremos: o extremo do fideísmo ou crendice - uma fé/confiança em algo desprovido de evidências no mínimo razoáveis; e o extremo do ceticismo ou negacionismo - descartando sempre aspectos sobrenaturais nos eventos deste mundo. Que sejam eles vigilantes e perseverem em oração enquanto avançam no estudo e nas demais escolhas a serem feitas ao longo da vida, pois o momento derradeiro da história deste mundo de pecado se aproxima.

“E já está próximo o fim de todas as coisas; portanto sede sóbrios e vigiai em oração” (1 Pedro 4:7).

Josué Cardoso dos Santos é cientista espacial, doutor em Física e atua como pesquisador na Agência de Exploração Aeroespacial do Japão (JAXA) e integra o grupo Cientistas Adventistas.

Referências:

[1] Ufology. Disponível em: https://en.wikipedia.org/wiki/Ufology

0 visualização0 comentário
bottom of page